Microscopia. Método Simples e Fácil, Para Fotografar Imagens Vistas ao Microscópio.


 

Microscópio Antigo, do Século XIX. Preto e Dourado. Marca R & J Beck, Inglaterra, 1880. Crédito da Imagem: Site Old Microscopes.com, Itália.
Microscópio Antigo, do Século XIX. Preto e Dourado. Marca R & J Beck Ltd., Inglaterra, 1880. Fonte da Imagem, OldMicroscopes, Itália.

Autores: Alberto Federman Neto, AFNTECH, e José Luiz Capellaro.

Atualizado em 12 de Novembro de 2021.

In Memoriam de meu avô, Alberto Federman, Fotógrafo, Químico e Pesquisador.

Este Artigo descreve um procedimento muito simples  e acessível até ao hobista, (e mesmo ao leigo) para fotografar o campo visual de uma observação ao microscópio.

Em outras palavras, é um método muito fácil de fazer Fotomicrografias (erroneamente chamadas Microfotografias); Para o erro, veja veja: BACELAR, S.;  GALVÃO, C.C.; ALVES, E.; TUBINO. P. , Rev. Med. Res. Curitiba, 14 210 (2012).

Pode-se usar apenas um microscópio e uma câmera digital pequena, ou mesmo câmera de celular.

A ideia é fotografar diretamente a imagem que aparece em um microscópio ótico clássico, usando recursos simples e sem equipamento especial. Ideal para hobistas e amadores.

1. INTRODUÇÃO:

A imagem que ilustra este Artigo é um antigo microscópio monocular, mas com recursos avançados para a época,  século XIX, 1880.  preto e dourado. Foi fabricado por dois artesãos óticos, Ingleses (de Londres), Richard e Joseph Beck. Empresa R & J Beck. Faz parte da coleção do Site  Italiano oldmicroscopes.com.

No Brasil,  quando fotografamos uma imagem que é vista  ao microscópio, é corrente usarmos o termo MICROFOTOGRAFIA. Contudo, isso dá a ideia de uma “fotografia muito pequena“, e não da foto do que é visto ao microscópio, em uma lâmina… O termo mais correto a usar seria FOTOMICROGRAFIA.

Meu avô já alertava para esse erro de nomenclatura, as vezes cometido até na Europa. Termos corretos são citados citado em livros, home-pages  e vídeos. Exemplar do livro do Autor deste Blog (pertenceu a meu avô). Online: MOITISSIER, A. ” La Photographie Appliquée Aux Recherches Micrographiques.” Editora J.B. Baillière et Fils, Paris, França (1866).

Meu avô foi um Artista Plástico, Pesquisador e Fotógrafo italiano, morador na Vila Mariana. Trabalhava no Instituto Biológico.

Ele foi um dos pioneiros da Fotografia Artística, da Fotomicrografia e da Cinematografia Científica no Brasil, tal como citado em diversas publicações:

D’AGOSTINI, S.; VITIELLO, N.; REBOUÇAS, M.M. Pág. Inst. Biol. 3, 1 (2007)  MENDES, A. “Alberto Federmann, Um Pioneiro Esquecido.Cad. Hist. Cienc. 11, 188 (2015)PDF. REBOUÇAS, M.M. et al. Cad. Hist Cienc. 5, 95 (2009). SILVA, M.R.B. Rev Hist. São Paulo 179, 1 (2020)SILVA, M.R.B. Proj. Hist. Rev. Prog. Pós-Grad. Hist.  40 (2010). DUARTE, B.J.; SILVA, M.R.B. Rev. Hist. 179, 1 (2020) ROSSI, M.S. An. Mus. Paulist. 6, 83 (1999). REBOUÇAS, M.M.; D’AGOSTINI, S.; CYTRAYNOWICZ, R. “Ilustração Científica. Catálogo dos Ilustradores Científicos do Museu do Instituto Biológico.” (2015)VEIGA, R.F.; BARBOSA, W. ; ABRAMIDES, P.L.G. “Diretório das Coleções Biológicas.”, Campinas, S.P. (2008). Blog:História do Amapá;” “História do Ministério da Agricultura.” (2016).

Outros Links sobre meu avô.

2. MATERIAIS, NOSSO MÉTODO,  E PROCEDIMENTO:

Mas neste Artigo, a ideia é fotografar o que aparece em um microscópio ótico clássico, usando recursos bem simples e sem equipamento especial. Ideal para hobistas e amadores.

Equipamentos e Materiais:

Usamos meu microscópio marca Coleman, Brasil, monocular, modelo 16 A. Link 48. Semelhante a este. Veja um Artigo neste Blog, sobre ele.

Usamos minhas 3 Câmeras Digitais: Sony Cybershot modelo DSC-W320 , Kodak Easyshare C-183, e  câmera semi profissional FujiFilm Finepix S2980. São câmeras relativamente antigas, portáteis e pequenas, mas boas.

Conjunto de Lâminas permanentes, compradas prontas para uso, para ensino, de baixo custo. Marca DIGILAB.  Usadas para testar os procedimentos.

Métodos:

O método, procedimento elaborado, é bastante simples.

Escolhe-se a ocular e a objetiva, combinadas para aumentos entre 100 e 640 vezes. Eu usei oculares de aumentos de 10 ou 16 vezes, e objetivas acromáticas secas de 10 e 40 vezes.

Escolhe-se a lâmina, que é então colocada na platina, ajustada e focalizada, pelo procedimento padrão de uso dos microscópios. links: 39, 40, 41, 42, 43, 44, 45, 46. 47. Ajuste o condensador e o diafragma íris, para obter a melhor imagem possível.

Focalizado o microscópio, encoste a lente da câmera digital ligada, na ocular do microscópio e segure com uma das mãos.

Ao observar a imagem que aparece focalizada na tela da câmera, se necessário ajuste o “zoom” da câmera, e ajuste novamente o foco no parafuso micrométrico do microscópio.

Aperte a tecla de tirar a foto, na câmera digital. Pronto! Fotomicrografia bem simples.

Um método similar ao nosso, é o usado por MATHIAS, W.; MEDEIROS, H., (2020). Canal e Site LAB Prática.

3. RESULTADOS E DISCUSSÃO:

Um de nós, CAPELLARO, J.L. (1996-1997),  a anos atrás, teve a ideia de fotografar a imagem do microscópio, encostando a lente de uma câmera ótica comum (de filme), na ocular , com o microscópio já focalizado.

Obteve resultados razoáveis, mas algumas vezes não.

O motivo principal era porque nas câmeras de filme, você não enxergava a imagem antes fotografar, exceto após revelar o filme. Também devido à baixa luminosidade do campo dos microscópios. Sabe-se que filmes fotográficos antigos  não eram tão sensíveis em presença de pouca luz. E sabe-se que nos microscópios, óticos, quanto maior o aumento final, menor é a luminosidade.

Porém, conseguimos recentemente bons resultados, usando câmeras digitais modernas, muito mais sensíveis a baixa luminosidade (como ocorre nas lentes dos microscópios, usando aumentos elevados).

Usando o procedimento descrito no Item 2, fizemos fotos bem razoáveis da visualização de lâminas preparadas, compradas prontas, e armazenamos nos cartões de memória das câmeras. Todas as fotos foram feitas do campo de um microscópio Coleman 16 A e não foram editadas.

Foto 1. Lâmina de Folha de Urtiga, Urtica Dioica, aumento de 480 X, fotografada com câmera digital Kodak Easyshare C137.  Item 2, neste Artigo.

Fotomicrografia de Lâmina de Folha de Urtiga, Aumentadas 480 X.
Fotomicrografia de Lâmina de Folha de Urtiga, Aumentadas 480 X.

Foto 2. Flor de Crisântemo. Chrysanthemum morifolium . Lâmina comercial, corada com fucsina. Câmera Digital Kodak EasyShare C137. Uma foto similar foi obtida com câmera digital Sony Cybershot DSC-W320.

Lâmina de Flor de Crisântemo, Corada com Fucsina. Aumento, 640 vezes.
Lâmina de Flor de Crisântemo, Corada com Fucsina. Aumento, 640 vezes.

Lâmina 3. Um filamento de pena de pombo. Aumento 160 vezes. Câmera Digital Kodak Easyshare C137.

 

Pena de Pombo. Aumento 160 vezes. Fotografado com Câmera Digital Kodak Easyshare C137.
Pena de Pombo. Aumento 160 vezes. Fotografado com Câmera Digital Kodak Easyshare C137.

Lâmina 4. Pólen de Girassol, Helianthus annuus , corado com Fucsina. Aumento 480 vezes. Câmera Digital Sony Cybershot DSC-W320. Item 3, neste Artigo.

Pólen de Girassol. Aumentado 480 vezes. Câmera Digital Sony Cybershot DSC-W320.
Pólen de Girassol. Aumentado 480 vezes. Câmera Digital Sony Cybershot DSC-W320.

Foram feitas outras fotos, que não foram colocadas neste Artigo. Por exemplo células de cebola, de raiz de gengibre, pelo de boi, de gato e cabelo humano, fibra de algodão. Veja mais algumas fotos, aqui.

Usando uma câmera digital semiprofissional, FujiFilm Finepix S2980 , Item 1, neste Artigo, o procedimento é menos fácil de ser executado, isso porque a lente da câmera é grande angular e bem maior do que a ocular do microscópio.

Resulta em mais difícil focalização. Mesmo assim, resultados relativamente bons foram obtidos.

Ainda, uma câmera de smartphone comum, pode  eventualmente ser usada.

Note que as fotos obtidas tem resolução e visual satisfatórios, considerando-se uma observação preliminar.

As fotos ficam praticamente em linha com o que é observável diretamente na ocular do microsçópio, exceto por uma pequena desfocagem e  alguma baixa luminosidade. Mas as fotos feitas são razoáveis e após salvá-las elas podem a seu critério, serem editadas ou melhoradas.

4. RECURSOS MAIS SOFISTICADOS:

Não é o objetivo deste Artigo, mas para um  trabalho mais rigoroso, você pode querer usar recursos mais modernos.

No século XIX  e início do século XX, e na época de meu avô, e mesmo muito depois, até os anos 90, Link 16, fotografar as imagens de um microscópio era bastante difícil, exigindo equipamentos especiais e bastante sofisticados.  Estes links mostram que não era fácil: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15.

Nos dias atuais, já não é assim. Há microscópios com três oculares, em uma das quais, se acopla a Câmera. Links: 30, 31, 32, 33. As vezes, usando um adaptador. Existem microscópios óticos já acoplados a câmeras digitais. Link 22. 36. 37. 47.  Câmeras especiais para microscópios. Links 51. 52. 55. 56. 57.

Existem  também muitos microscópios digitais USB, que já formam a imagem na tela do computador ou do celular, ou mesmo já tem a tela incorporada. Links: 16, 17, 18, 19, 20, 21. 53. Microscópios óticos com tela, também existem. 47.

Microscópios digitais com câmera de baixo custo, baratos até. Links: 23, 24, 25, 26, 27, 28. 36. Microscópios “Zoom”, Box, HDMI. Tem até sem fio. Até microscópios portáteis (ou lupas), para serem acoplados a celulares. Links 34, 35. 49.

Também você pode usar um suporte que adapta o celular ao microscópio.

Em resumo, a Eletrônica e a Tecnologia foram aperfeiçoadas, baixando  custos e tornando tudo mais prático.

Porém a imagem do microscópio pode ser facilmente fotografada com nosso procedimento bem simples, sem equipamento sofisticado (Itens 2  e 3).

5. RESUMO E CONCLUSÃO:

É descrito um método simples e fácil para fazer Fotomicrografias (erroneamente chamadas Microfotografias). Fotografias de imagens vistas ao microscópio.

O procedimento consiste em fotografar diretamente a imagem da lâmina, como é vista na ocular do microscópio, e aproximando uma lente objetiva de uma câmera digital ou câmera de celular.

O método é  fácil de ser executado, e pode ser usado até por hobistas ou amadores, obtendo-se fotos bem razoáveis.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Química Top

O melhor e maior blog de Química do Brasil!

Mundo GNU

Difundindo o Software Livre

O Vital da Ciência

A ciência faz e tem história

CIÊNCIA LIVRE.

Artigos e Dicas sobre Ciências e Tecnologias Diversas: Eletrônica, Química, História da Ciência, Experimentos etc...

WordPress.com em Português (Brasil)

As últimas notícias do WordPress.com e da comunidade WordPress

%d blogueiros gostam disto: