História das Máquinas Elétricas.


Máquina de Wimshurst, um Antigo Gerador Eletrostático. Réplica Moderna
Máquina de Wimshurst, um Antigo Gerador Eletrostático. Réplica Moderna. Fonte da Imagem: Luzplantas,com.

Autoria: Alberto Federman Neto, AFNTECH.

Revisto e Ampliado em: 4 de Maio de 2022.

Este Artigo versa sobre a História dos antigos métodos para gerar  ou produzir  eletricidade e as máquinas elétricas.

1. INTRODUÇÃO:

Nos dias atuais, é fácil conseguir eletricidade, e ela é essencial à vida moderna. Movimenta a indústria, comércio, Internet, celulares, telefonia, iluminação etc…

Podemos recorrer às nossas tomadas elétricas, ou as pilhas, baterias, carregadores de celular, bobinas de carro, ignições eletrônicas etc…

Mas nem sempre foi assim. A eletricidade já foi quase uma curiosidade de laboratório, muito mais que uma tecnologia prática.

2. HISTÓRIA. OS PRIMÓRDIOS DA ELETRICIDADE:

Embora hajam evidências de que conhecimentos sobre a Eletricidade possam ser muito mais antigos, não há muitos documentos, somente achados arqueológicos.

O Filósofo  de tradição Grega (mas nascido na Jônia, hoje pertence à Turquia) Tales de Mileto se interessou pelo fenômeno que fazia as fibras da lã se enrolarem fazendo bolinhas. LINDELL, I. ; WITESMAN, O.F. (Tradutor)”The Long History of Electricity.” Editora Gaudeamus Helsinki University Press, Helsinque, Finlândia (2009 e 2011). Link 1.

Thales de Mileto, antes de Aristóteles, foi o primeiro a investigar as causas primárias, básicas, dos fenômenos naturais. Por isso foi o fundador da Filosofia Natural.

Em seus experimentos, (por volta de 600 aC), ele descobriu que um pedaço de uma resina  fossilizada de coníferas , o Âmbar, quando atritado com um pano de lã ou de seda, era capaz de atrair cabelos, pequenos pedaços de papel etc… NOAD, H.M. “A Manual of Electricity.” Editora Lockwood & Company, Londres, Inglaterra, Parte I, Págs. 21, 857 e 908 (1859). FERREIRA, R.C.A.;PAIVA, E.C.; DOURADO, L.F.N. Rev. Cient. Mult. Con. 4, 51 (2019).

Hoje todo mundo conhece esse experimento. Um pente, ou um objeto de plástico ou vidro, atritado, atraí o papel, cabelos etc… Links: 3, 4, 5, 6. 7, 8, 9, 10.

Tales de Mileto descobriu a Eletricidade Estática. Mas ao analisar o fenômeno, o confundiu com o Magnetismo, supunha que fosse uma coisa só. De fato Eletricidade e Magnetismo são relacionados, mas não são idênticos.

Somente após  1600, com os estudos do Médico e Filósofo Natural Inglês Willian Gilbert ,  ele reestuda o Magnetismo e a Eletricidade e descobre que são forças diversas. Publicado em seu famoso Livro “De Magnete“. link 2. 12. GILBERT, W.;  “De Magnete” (1600). tradução do Latim por: GILBERT, W.; THOMPSOM, S.P. (Tradutor) “On the Magnet.” Editora Chiswichpress, Londres, Inglaterra (1900). Link 11.

O Químico, Físico e Filósofo Natural Irlandês Robert Boyle  em 1675, explicou como a eletricidade atuava nos fenômenos descritos por Tales de Mileto e a atração entre os corpos, bem como, aperfeiçoando Gilbert, definitivamente provou que Eletricidade e Magnetismo não são o mesmo fenômeno.

BOYLE, R.; VÁRIOS AUTORES (Coletores e Editores) “The Works of the Honourable Robert Boyle.” Londres, Inglaterra (1772). BOYLE, R.; THOMPSOM, S.P. (Coletor e Editor) “Two Tracts on Electricity and Magnetism.” Editora Bedford Press, Londres, Inglaterra (1898). BOYLE, R.; FLESHLER, E. (Editor); DAVIES, R. (Livreiro),”On the Mechanical Origine or Production of Eletricity.” Londres e Oxford, Inglaterra (1675).

Até os trabalhos desses autores praticamente não existiam máquinas elétricas, ou meios de produzir eletricidade em grandes quantidades, ou armazená-la.

2. ELETROSCÓPIOS E PRIMEIRAS MÁQUINAS ELÉTRICAS :

Nos dias atuais, a História das máquinas elétricas está sendo pouco a pouco esquecida. Isso de deve principalmente, opinião minha, à quase total obsolescência delas como equipamentos produtores de eletricidade e em tecnologia.

Mas o estudo das máquinas elétricas me parece ainda muito interessante do ponto de vista Histórico, e mesmo Científico, já que é muito didático.

Como vimos, já havia a maneira de produzir eletricidade atritando bastões de vidro, âmbar, Ebonite, resinas, com lã ou tecidos. 

A eletricidade estática pode ser detectada e medida com o uso dos eletroscópios.

Hoje se poderia usar um eletroscópio eletrônico ,  link 72, mas o primeiro eletroscópio foi inventado por  volta de 1600 por William Gilbert, o “Versorium“, “Eletroscópio de Agulha Pivotante“. GILBERT, W.; MOTTELEY, P.F (Tradutor do Latim); WRIGTH, E. (Coletor e Editor) “On the Loadstone and Magnetic Bodies.” Editora John Wiley, New York, EUA, Pág 79, Edição de (1893).

Outro eletroscópio antigo e bem conhecido e sensível é o “Eletroscópio de Folhas de Ouro inventado pelo Pastor e Filósofo Natural  Abraham Bennet em 1787. link 68. BENNET, A; DREWRY, J. (impressor). “New Experiments on Electricity.” Derby, Inglaterra (1789). Páginas 11 a 18 e outras. Veja uma imagem do “Eletroscópio de folhas de Ouro” Outra imagem no link 70.

Aperfeiçoado pelo Físico Romeno Dragomir Hurmuzescu. Veja link 71. Com sensibilidade aumentada. Com seu aparelho conseguia inclusive detectar radiação ionizante. ALEXANDRU, M.; BARGAN, A.; NISTOR, A.; GORYCZKA, T. Researchgate, Public Full Text.

Também tinha sido melhorado pelo Médico e Físico Italiano Alessandro Volta. link 72. MEDEIROS, A. Rev. Bras. Ens. Fís. 24, 353 (2002). VOLTA, A.; NICHOLS, J. (Impressor) “Of the Method of Rendering…. Leitura comunicada à “Royal Society”, em 14 de Março de 1782. Londres, Inglaterra. Em Italiano: VOLTA, A.; COWPER, G.E (Comunicador) Proc. Roy. Soc. London, 72, 237 (1782).

Pode-se substituir as caras folhas de ouro por folhas de alumínio , link 70, ou de estanho, mas por serem menos finas e ficarem mais pesadas, a sensibilidade do aparelho fica bem menor (experiência própria minha, [FEDERMAN NETO,A. (1975)].

Baseado nesse método, Triboeletricidade, o Filósofo Natural oriundo da Alemanha, (mas quando parte pertencia à Suécia), Johan Carl Wilcke, um dos fundadores da Física Experimental, inventou o Eletróforo , a primeira máquina elétrica simples.

Publicado em sua Tese Acadêmica, em Filosofia.  WILCKE, J.C.; ANGELIUS, I.O.; AEPINUS, D. (Examinadores), “Disputatio Physica Experimentalis, de Electricitatibus Contrariis.” Editora Litteris Adrelianis (1757). Tradução Automática do título “Falando de Física Experimental, Sobre as Eletricidades Contrárias.WILCKE, J.C. Proc. Roy. Swed. Scienc. Akad. 23, 206, 245 (1762). Publicado em Sueco.

O Eletróforo foi aperfeiçoado e divulgado pelo Médico, Físico, Químico e Filósofo Natural Italiano Alessandro Giuseppe Antonio Anastasio Volta Por isso, hoje é chamado Eletróforo de Volta. NICHOLSON, W. Lit. Mag. Brit. Rev. 6, 17 (1791). VOLTA, A.; MARELLI, G. (Editor) “Seguito Della Lettera de A. Volta a  G Priestley.” Em: “Scelta de Opusculi Interessanti Tradoti da Varie Lingue.” Milão, Itália, Vol. 10, Pág 86 (1775).  PINTO, I.K.L.; BISPO, A.P.; SANTOS, L.; PINTO, J.A.F.; SANTOS, L.  “XVI Encontro de Pesquisa em Ensino de Física.“, Natal, R.N (2016), publicado em Acad. Lett. (2022).

O aparelho consiste essencialmente em dois discos metálicos,  um com cabo isolante, e separados por uma grossa camada isolante de resina.  Descrição do Funcionamento. Ao mesmo tempo em que se obtêm eletricidade por atrito, ela é armazenada por um condensador (um capacitor).

Imagem de um Eletróforo de Volta. Fonte da imagem: LOCKERBY, P. “The Chatter Box”, (2013).

Esquema de um Eletróforo de Volta.
Esquema de um Eletróforo de Volta.

Assim eletricidade estática e produzida e pode ser armazenada, para gerar uma potente faísca, ao descarregar.

Mas a primeira máquina elétrica bem eficaz, 1662, havia sido o gerador eletrostático de  Otto Von Guericke, um Filósofo Natural e Diplomata Alemão.  A máquina elétrica da “Bola de Enxofre”. VON HEATHCOTE, Ann. Scienc. 6, 293 (1950). Link 13. Só publicado em 1672. VON GUERICKE, O.; WASSBERGE, J.J. (Editor), “Experimenta Nova.” Amsterdã, Holanda (1672).

Página 148. Veja a figura VI, neste link. e outra figura, neste artigo. Neste link, uma réplica moderna.

Von Guericke a considerava um modelo da terra magnetizada (a terras para ele, era um imã gigante), e ele também confundiu Eletricidade com o Magnetismo.

A máquina de Von Guericke, era uma bola de enxofre fundido, que era movida por uma manivela, e ao mesmo tempo eletrizada, por fricção com as mãos. Seu uso para produzir eletricidade foi popularizado pelo Filósofo, Matemático e Filósofo Natural Alemão Gottfried Wilhelm Von Leibniz .

Modificações do aparelho de Von Guericke. O Filósofo Natural, Matemático e Alquimista Inglês Isaac Newton, substituiu a bola de enxofre por uma esfera de vidro, tornando o aparelho mais fácil de construir e melhor.

Veja em: NEWTON, I.;SMITH, S.; WALFORD, B. (Editores), “Optiks, Or the Treatise of the Reflexions, Refractions, Inflexions and Colours of Light.” Editora da Royal Society, Londres, Inglaterra (1704). Links: 15, 16, 17NEWTON, I.; INNS, W. (Editor) “Optiks, ora Treatise of the Reflections, Refractions, Inflexions and Colours of Light.” Londres, Inglaterra,  4a Ed., Págs.: 314, 315, , 316, 317, 340, 351 (1730).

Citação,  NEWTON, I. Pág. 315. (1730). Tradução Livre:

“That part of the glass where is most in motion, the electrik vapour which is excited by the friction of the glass against the hand…”

” Na parte do vidro que está muito em movimento, o vapor eletrizado que foi excitado pela fricção com a mão…”

Os geradores de eletricidade estática de Von Guericke e Newton, foram aperfeiçoados por vários cientistas. Link 20

Benjamin Franklin inventou uma máquina onde um globo de vidro era eletrizado por fricção. Alguns engenheiros aperfeiçoaram a máquina de Franklin.

As máquinas de Von Guericke, Newton e Franklin resultaram nas primeiras máquinas aonde, as vezes, discos ou cilindros de vidro eram eletrizados por fricção, e não mais um globo de vidro. Link 27.

Por exemplo nas máquinas de globo ou cilindro, ou disco, de vidro do Inventor Inglês Francis Hauksbee. HAUKSBEE, F.; SENEX. J.; TAYLOR, W. (Editores) “Physico-Mechanical Experiments on Various Subjects…” Londres, Inglaterra, 2a Ed., Págs.: 29, 30, 38,  39, 40. 49, 76, 81, 147, 242 (1719). HAUKSBEE, F. GUIDUCCI, J.; FRANCHI, S. (Tradutores e Editores), “Esperienze Fisico-Meccaniche, Sopra Vari Soggeti.” (1716). Link 18. 19.

O Físico Sueco naturalizado Inglês, Jan  Ingenhousz, em 1746, inventa uma máquina que eletriza um disco de vidro. Essa máquina foi melhorada por vários inventores. INGENHOUSZ, J. Phil. Trans. Roy. Soc. London 59, 659 (1779).

Na Máquina de Ramsden“, ainda uma máquina de atrito, a eletricidade era produzida pela fricção de escovas de couro metalizado, em um disco de vidro. Inventada em 1766, pelo Matemático, Filósofo Natural e fabricante de aparelhos científicos Jesse Ramsden. Link 28. WALTERS, A.M. Ann. Scienc. 66, 563 (2009).

Uma Máquina de Ramsden. Fonte da Imagem: Science and Technology (2010), figura tirada de Traité Elémentaire de Physique Experimentale e Appliquée. (1866).

Máquina de Ramsden.
Máquina de Ramsden.

Outras máquinas elétricas antigas são conhecidas.

3. MÁQUINAS ELETROSTÁTICAS MAIS EFICIENTES :

Artigos Científicos publicados sobre máquinas elétricas eficientes.

Além das mãquinas de atrito, nas máquinas de influência, ou indução, a eletricidade gerada do atrito é capturada por uma escova metálica, ou gerada por indução e armazenada em capacitores ou Garrafas de Leyden.

Um aperfeiçoamento das máquinas existentes,  famoso aperfeiçoamento, foi o da   Máquina de Holtz, inventada pelo Físico Alemão Wilhelm Holtz, em  1865. Aperfeiçoada por ele até 1883. HOLTZ, W.  Ann. Phys. 202, 157 (1865). HOLTZ, W. Lond. Edin. Dub. Phil. Trans. 30, 425 (1865). ANTOLIK, K. Ann. Phys. 255, 542 (1883). com um ou dois discos de vidro. Links 21, 22. 29.

Uma Máquina de Holtz. Fonte da Imagem (2000): Laboratório de Eletrônica de Potência, UFRJ.

Máquina de Holtz.
Máquina de Holtz.

Holtz publicou vários artigos aperfeiçoando sua máquina. Descobriu que o Ebonite (borracha altamente vulcanizada) é melhor que o próprio vidro, para fazer os discos eletrizáveis. Veja esses Artigos de Holtz aqui.

Uma modificação é a “Máquina de Toepler-Holtz“, Link 22. AAAS, Science 373, 197 (1890); Do Químico e Físico Alemão August Toepler. HAUDIÉ, E. J. Phys. Theor. App. 8, 294 (1889)GRAY, J.  “Electrical Influence Machines.” Editora Whittaker, Londres, Inglaterra (1890).

Uma Máquina de Toepler-Holtz. Veja:  QUEIROZ, A.C.M. , “Portal da Física. Máquinas Eletrostáticas.” (2015). Fonte da Imagem: University of Michigan, Physics, Demonstration Lab.

Máquina de Topler-Holtz
Máquina de Toepler-Holtz

Derivada das máquinas de Holtz e Toepler é a “Máquina de Voss“. Link 23. 24. Do fabricante de máquinas Alemão Robert Voss. (1880). Link 25.

Vários inventores aperfeiçoaram as máquinas de Voss, Holtz e Toepler. Link 26.

Isso levaria à invenção da mais eficiente máquina eletrostática, a “Máquina de Wimshurst“. Inventada e aperfeiçoada pelo Engenheiro Naval e Inventor Inglês James Wimshurst. Entre 1880 e 1884. Link 27. 28. 29. WIMSHURST, J. Lond. Edin. Dub. Phil. Mag. 31, 507 (1891). WIMSHURST, J. Lond. edin. Dub. Phil. Mag. 36, 264 (1893). WIMSHURST, J. Archiv. Roet. Ray 5, 16 (1900).

Uma máquina desse tipo ilustra este Artigo.

A Máquina de WImshurst é bem eficiente e ainda é utilizada em experimentos didáticos de Física. Outros Links.

Existe uma outra máquina elétrica importante, muito mais recente, mas foi inventada para funcionar como acelerador de partículas, e não como máquina elétrica, para produzir eletricidade. WELLS, W.H. J. App. Phys. 9, 677 (1939).

Gerador de  Van Der Graff“. Inventado pelo Físico Americano Robert Jamison Van Der Graaff. Em 1929. GRAAF, R.J.V.D. Patente Americana, US1991236A (1931-1935). VAN DER GRAAF, R.J.; COMPTON, K.T.; VAN ATTA, L.C. Phys. Rev. 43, 149 (1933). VAN DER GRAFF, R.J. Phys. Rev. 38, 1919 (1931). BRAMHALL, E.H. ; VAN DER GRAAF, R.J. Brit. J. Radiol. 6, 217 (1933) . TRUMP. J.G.; VAN DER GRAAF, R.J. Phys. Rev. 55, 1160 (1939). FURFARI, F.A. IEEE Ind. App. Mag. 11, 10 (2005).

Foi muito aperfeiçoado por seus inventores, como pode ser visto nestes links. Hoje existem Geradores de Van Der Graaf pequenos e médios em muitas Universidades no Mundo e até em colégios.

Como funciona o Gerador de Van Der Graaf? Veja este vídeo , 2015, da UFPR TV. Outro vídeo do Objetivo Itapira.

4. OUTROS MÉTODOS. OBSOLESCÊNCIA DAS MÁQUINAS  ELÉTRICAS CLÁSSICAS :

Embora esse avanço tenha sido bem lento, pouco a pouco ,a descoberta da Eletricidade Dinâmica e a Invenção das primeiras pilhas elétricas, por Alessandro Volta, em 1800, tenderiam a tornar obsoletas as máquinas elétricas.

Invenção das Pilhas: VOLTA, A. Phil Trans. Roy. Soc. 90, 403 (1800). VOLTA, A.; BANKS, J.  Phil. Mag. 7, 289 (1800). CHAGAS, A.P. Quím Nova, 23, 427 (2000). JARDIM, W.T.; GUERRA, A. Rev. Bras. Ens. Fis. 40, e3603 (2018).

Em 1831, o Físico Inglês Michael  Faraday e o Americano Joseph Henry descobriram e aperfeiçoaram a indução elétrica e inventaram uma maneira de elevar a tensão, usando um transformador. SMITH, G.S. Eur. J. Phys. 38, 015207 (2016). FARADAY. M. Trans. Roy. Soc. London 122, 125(1831) (1831). HENRY, J.  “Scientific Writings of Joseph Henry.” Editora Smithsonian InstitutionVol. 2, 1886).

Tensões muito elevadas, MAT (Muito Alta Tensão), foram obtidas com a bobina de indução, inventada pelo Físico Irlandês Padre Nicholas Joseph Callan. CALLAN, N. Lond. Edin. Dub. Phil. Mag. 14, 323 (1857). CALLAN, N. Phil. Mag. Series 3, 9, 472 (1836). CALLAN, N. Lond. Edin. Dub, Phil. Mag. 25, 413 (1863). Com essa bobina, alimentada por pilhas de Bunsen artesanais, se obtinha eletricidade suficiente para carregar grandes baterias.

As bobinas de indução foram aperfeiçoadas por muitos pesquisadores. Como o Americano Charles Grafton. E o Inglês Willian Sturgeon. e outros. PROVOST, P.; MARTIN, G. ; BOUTGIGNY, J. Bull. Un. Phys. 812, 459 (1999). Link 31. 40, 41, 42, 43,

Deriva da bobina de Callan a moderna bobina de indução,Bobina de Ruhmkorff“.  NORRIE, H.S.; SCHNEIDER, N.H. (Editor), “Ruhmkorff Induction Coils.” Editoras Chamberlain, New York, EUA e Spon, Londres, Inglaterra (1896). Link 30.

Industrializada pelo Mecânico, Eletricista e Físico Experimental Alemão Heinrich Daniel Ruhmkorff, um fabricante de instrumentos científicos, na França. UPPENBORN, F. “The History of the Transformer.” Editora E. & F.N. Spon, Londres Inglaterra e New York, EUA (1889). GUEDES, M.V. História, 1, 2 (2001). PAYEN, J. Rev. Hist. Cienc. Leurs App. 18, 315 (1965).

Porém, há reportos de que teria surgido 16 anos antes, e mesmo teria sido fabricada pela empresa Francesa Masson, antes da patente de Ruhmkorff. Links 32, 33, 34, 35, 36, 37, 38, 39, 44.

Vimos então, as bobinas de indução clássica. Nos tempos modernos, sua maior aplicação é como bobina de ignição em carros.

Merecem destaque certas modificações, como a Bobina de Tesla. Do Brilhante Engenheiro Eletricista, Inventor e Cientista Servo-Croata Nikola Tesla. TESLA, N. Patente Americana, US462418A (1891). TESLA, N. Patente Americana, US454322A (1891).

A ideia básica, veja esquema, CABRERA, O. (2015), é obter alta tensão com uma bobina de indução comum, ou um transformador toroidal, injetando essa tensão já muito alta  do secundário, em uma segunda bobina de indução ou transformador com  núcleo de ar, através de um centelhador para reduzir a corrente, gerar pulsos e aumentar a frequência.

Assim temos um circuito ressonante, capaz de obter tensões extremamente elevadas, com correntes muitos baixas. Para efeito didático e simples,  considere  que uma já muito alta tensão é aumentada ao ser injetada no primário de um segundo transformador de alta tensão.

Veja uma grande Bobina de Tesla, funcionando. Fonte da Imagem: Tesla Downunder, Tesla Coil Sparks.

Mostrando Uma Bobina de Tesla Ligada e Funcionando.
Mostrando Uma Bobina de Tesla Ligada e Funcionando.

Tesla imaginava usá-las em transmissão de energia sem fio, link 46, mas isso até hoje é complicado, por existirem perigos, interferência em rádio, perdas elétricas, geração de UV, calor, gerar ondas de rádio junto etc…

Outras maneiras modernas de obter eletricidade, e distribui-la, para funcionamento nas casas e nas cidades, também contribuíram para aposentar as máquinas elétricas…

A energia elétrica, de uma maneira geral, pode ser obtida por exemplo por via de turbinas hidroelétricas, que são acopladas a dínamos ou alternadores. Os dínamos produzem corrente contínua, e os alternadores, logicamente, produzem corrente alternada.

O dínamo foi inventado por Michael Faraday em 1830. SMITH, G.S. Am. J. Phys. 81, 907 (2013). Mas foi aperfeiçoado (link da UFRJ) e industrializado (patentes de 1854, Inglaterra, números 806 e 2198) pelo Engenheiro Eletrotécnico e Ferroviário Dinamarquês Soren Hjorth, para uso em ferrovias.  Variantes do Dínamo. Links: 53, 54, 55, 56, 57, 58. 59. 60. 61.

BANG, O. (Em Dinamarquês) “Kast Med Dampen Og Elektriciteten. Soren Hyorth _En Dansk Pioner.” Tradução Automática e Interpretação Livre do Título:  “Aclarando, Vaporizando a Eletricidade. Soren Hyorth, Um Pioneiro Dinamarquês.” Editoras Lindhardt & Ringof Vorlag e Egmont, Copenhagen, Dinamarca (2020).

SMITH, S.; SODEMANN, F. (Tradutor) “Soren Hjorth, Inventor of the Dinamo-Electric Principle.” Editora J. Jorgensen & Co., Copenhagen, Dinamarca (1912).

Já os alternadores, foram desenvolvidos por pesquisas de vários cientistas, depois dos trabalhos pioneiros do Matemático, Físico e Químico Irlandês (Britânico), Lord Kelvin/ William Thomson  e do Engenheiro e Inventor Italiano Sebastian Ferranti. FERRANTI, S.Z. Patente Americana US341097A (1886). Sebastian Pietro Innocenzo Adhemar Ziani de Ferranti.

No que se refere à distribuição da eletricidade produzida, em larga escalas, para as cidades.

Primeiras cidades do mundo a terem eletricidade produzida e distribuída: Cleveland, Ohio, EUA (1879). Wabash, Indiana, EUA (1880)Newcastle-Upon-Tyne, Inglaterra (1879). New York, USA (1880) Hamilton, Quebec, Montreal e Ottawa no Canadá (1885). Links 63, 64.

No Brasil, as primeiras foram Rio de Janeiro, R.J. 1879 e Campos dos Goytacases, R.J. em 1883. Links: 65, 66, 67. No Rio de Janeiro, R.J., só se popularizou após o início do século XX, e em São Paulo, S.P, só após 1911.

O Inventor Americano Thomas Alva Edison queria preconizar o uso de corrente contínua, enquanto Tesla, por sua vez, recomendava corrente alternada, como se faz hoje . Link 43

Patentes: EDISON, T.A. Patente Americana US266793A (1882). TESLA, N. Patente Inglesa 8200 (1905-1906) .

Houve muita controvérsia entre os dois, hoje chamada Guerra das Correntes“.

O tempo mostrou que Tesla estava certo. É preciso operar com corrente alternada e elevar muito a tensão, afim de minimizar perdas nas linhas de transmissão. Links 47, 48, 49, 50, 51. 52.

Apesar disso, com Tecnologia Moderna e Atual, a transmissão em corrente contínua poderia ser viável.

Esses inventos e descobertas tenderiam a tornar obsoletas as máquinas elétricas por serem maneiras bem mais fáceis de obter eletricidade.

Em todo o caso, como vimos, eletricidade hoje é fácil de conseguir, na tomada, ou com fontes e carregadores, circuitos eletrônicos, pilhas, baterias etc… Isso tudo tornou as máquinas eletrostáticas muito obsoletas, sendo ainda usadas quase  só em experimentos de laboratório de Física ou em casos especiais. Links 66, 67, 68. 69.

5. COMPLEMENTOS, SUMÁRIO, CONCLUSÕES E OBSERVAÇÕES:

Neste Artigo, vimos a História das máquinas elétricas e das bobinas de indução, e seus antigos usos na geração de energia elétrica.

Conclui-se que tais dispositivos podem ser considerados obsoletos, ou utilizáveis só em demonstrações de laboratório ou casos especiais, mas são ainda bastante interessantes pela sua História, hoje relativamente pouco conhecida.

Prefere-se hoje, outras maneiras de se obter eletricidade, como direto na tomada, fontes de alimentação clássicas ou digitais, carregadores de celular, pilhas, baterias ou seus carregadores, inversores, osciladores, energia hidroelétrica, solar ou eólica.

Observações. O presente Artigo foi escrito em Sistema Operacional Sabayon Linux usando Navegador Firefox versão experimental novaFirefox Experimental Nightly versão 101.0 Alfa 1, pt-BR. Usando procedimentos descritos neste Artigo.

As referências bibliográficas foram pesquisadas e encontradas pelos métodos que descrevi neste outro Artigo.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Química Top

O melhor e maior blog de Química do Brasil!

Mundo GNU

Difundindo o Software Livre

O Vital da Ciência

A ciência faz e tem história

CIÊNCIA LIVRE.

Artigos e Dicas sobre Ciências e Tecnologias Diversas: Eletrônica, Química, História da Ciência, Experimentos etc...

WordPress.com em Português (Brasil)

As últimas notícias do WordPress.com e da comunidade WordPress

%d blogueiros gostam disto: