Cabine, Câmara Para Visualizar Cromatogramas, Artesanal.


Câmara UV para Visualização de Cromatogramas, Comercial.
Câmara UV para Visualização de Cromatogramas, Comercial. Fonte da Imagem: SPLABOR.

Autoria: Alberto Federman Neto, AFNTECH.

Publicado em 13 de Dezembro de 2021.

Neste Artigo, é descrita a minha cabine, câmara  artesanal de visualização de cromatogramas.

Usada para ver  as manchas dos compostos eluídos nas placas de Cromatografia de Camada Delgada.

1. INTRODUÇÃO E HISTÓRIA:

Em Química, se usa muito visualizar, com luz UV, cromatogramas de cromatografia de camada delgada, usando câmaras ou cabines de luz, comerciais.

Existem várias marcas  no mercado nacional. Splabor, Biotech, Hexasystems, Uvtrans, Originallab, Solab, Originallab Ou importada, MilesScientific. Camag.

Pode ser feita artesanal, por exemplo, até de madeira.

Elas também podem ser usadas para observação em experimentos de fluorescência, e mesmo para ensaios de degradação acelerada, embora não sejam muito potentes.

A Cromatografia, inicialmente de coluna (de carbonato de cálcio) foi inventada para separar as clorofilas de plantas, pelo Botânico Russo Mikhail Semyonovich Tswett, em 1900.

Ele a apresentou em um Congresso Científico Russo, em 1901, aperfeiçou-a até 1903-1906 e a publicou em Russo, no Proceedings of the Warsaw Society of Naturalists, Biology Section, em 1905. Link 1. Link 2.

Seu trabalho permaneceu pouco conhecido por ter sido publicado em Russo, mas foi confirmado pelo Químico Alemão Richard Martin Willstätter   (que inventaria a Cromatografia de papel) e por seu aluno, o  Bioquímico Suiço  Arthur Stoll. WILLSTATTER, R.M.; STOLL, A. Livro (1913), Versão em E-Book. ETTRE, M.L.A.; SAKODYNSKII, I. Chromatographia, 35, 329 (1993). LEDERER, E.; LEDERER,M.; JAMES, A.T. (Tradutor) “Chromatography.” Editora Elsevier, Londres, Inglaterra, 2a Ed., (1953).

A Cromatografia de Camada Delgada, foi uma evolução da cromatografia de coluna, e foi desenvolvida nos anos 50, pelo Químico Alemão Egon Stahl. STAHL, E. et al. Thin Layer Chromatography.” Springer, Berlim, Alemanha (1965). STAHL, E.  Pharmazie, 11, 633 (1956); Chem. Ztg. 82, 323 (1958). Parf. Kosmet. 39, 564 (1958); Archiv. Pharm. 292, 411 (1959); Archiv. Pharm. 293, 531 (1960); Angew. Chem. 73, 646 (1961). COLLINS, C.H. Science Crhomatografhica, 2, 5 (2010). ISENMANN, A.F. “Cromatografia em Camada Delgada.” (1998).

Na Cromatografia de Camada Delgada, uma fina camada de sílica ou alumina ativada, ou celulose microcristalina , ou outros materiais, ROCHA, L.P. et al. Rev. Ens. Saúde Biotec. 2, 10 (2020),  é distendida sobre um suporte, uma tira de vidro, alumínio ou plástico. Semeada com a amostra e eluída em uma cuba de solvente. Links 4, 5. 6. 7. 8.

É muito usada pelos Químicos para acompanhar o progresso de uma reação, ou ver os constituintes de um extrato natural. SILVA, R.S. etal. Quím. Nova 32, 2234 (2009). SALATINO, A.; SILVA, J.B. Bol. Bot. Univ. São Paulo, 10, 1 (1988).

Uma das maneiras de visualizar as manchas dos compostos é usando luz UV. quando a mancha do composto não é fluorescente, pode-se usar indicador fluorescente misturado ao pó de sílica, alumina ou celulose (fase estacionária). O método foi popularizado após 1963. WARING, P.P.; ZIPORIN, Z.Z. J. Chromat. A 15, 168 (1964).

Para isso, para visualizar cromatogramas é que nós, os Químicos usamos as câmaras de UV. Também pode ser usadas em experimentos de fluorescência, como em Gemologia, e para estudos de envelhecimento acelerado, embora tenham baixa potência para esse uso.

2. CÂMARA,  CABINE OU GABINETE DE UV, ARTESANAL:

Embora possa ser comprada, também pode ser feita artesanalmente, como a que eu uso no laboratório.

A minha (FEDERMAN NETO, A.; LANCHOTE, A.D. (2008)) foi feita pela Oficina de Precisão do Campus da USP, Ribeirão Preto, seguindo meu esquema.

Ela foi construída com peças feitas de chapa de ferro de 1 mm de espessura, dobradas e fixadas com parafusos.  Em cima, um visor com um vidro azul de cobalto, tipo dos usados em solda elétrica.

Câmara de UV Para Visualizar Cromatogramas, Artesanal. Em Uso no Meu Laboratório. FEDERMAN NETO, A.;LANCHOTE, A.D.L (2008).
Câmara de UV Para Visualizar Cromatogramas, Artesanal. Em Uso no Meu Laboratório. FEDERMAN NETO, A.;LANCHOTE, A.D.L (2008). Imagem, Câmera Digital KODAK C-183.
Com a Porta Aberta, Veja a Parte Interna da Câmara, Onde São Colocados os Cromatogramas.
Com a Porta Aberta, Veja a Parte Interna da Câmara, Onde São Colocados os Cromatogramas..

Dentro, usei 3 lâmpadas do tipo fluorescente,  tubulares, miniatura de 8W, de soquete     T5. Montadas com seus respectivos reatores e chaves em série para ligar e desligar. Usei chaves de alavanca HH miniatura de 6 terminais.

Parte Superior da Cabine Para Visualizar Cromatogramas, Mostrando as Lâmpadas.
Parte Superior da Cabine Para Visualizar Cromatogramas, Mostrando as Lâmpadas.

Três lâmpadas. usei uma, de luz branca, uma de luz negra (como se fosse “UVA”) e uma Germicida, UVC (como se fosse “UVB”). Veja o espectro da luz UV,  Na realidade a luz negra é UV filtrado, vai de violeta visível até UVA, Enquanto a lâmpada germicida, é principalmente UVC, altamente energético. Vai de 280 a 180 nm, com ênfase próximo a 254 nm, raia pura do mercúrio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Química Top

O melhor e maior blog de Química do Brasil!

Mundo GNU

Difundindo o Software Livre

O Vital da Ciência

A ciência faz e tem história

CIÊNCIA LIVRE.

Artigos e Dicas sobre Ciências e Tecnologias Diversas: Eletrônica, Química, História da Ciência, Experimentos etc...

WordPress.com em Português (Brasil)

As últimas notícias do WordPress.com e da comunidade WordPress

%d blogueiros gostam disto: